• Tamanho Letra
  • Imprimir
  • Partilhar  Partilhar
  • Comentar
  • Ler Comentários
Gostou desta notícia?
URL

Clave de Sol: Agudos no correio electrónico Bem-estar: 12.5 - 10h Por: clavesol@live.com.pt

Os e-mails que recebo no Hotmail coram as criaturas mais pálidas. Entendo. O tema debatido neste espaço não é o Orçamento Geral do Estado. Alguns dos desabafos escritos, apesar de fazerem frente à literatura erótica corrente, trazem ideias a serem ponderadas. Um leitor egoísta, que assina ‘Come tudo e não deixa nada’, sugere uma história onde o comandante faça, a mim, sexo libertino ao som de música clássica, de preferência Chopin devido à irremediável semelhança que lembra o apelido do compositor. Enfim, seriam nocturnos, valsas e baladas ao estilo hardcore chupa-chupa com um leque variado de sabores.

Não é uma proposta de deitar fora. Tenha o comandante força e tenha eu predisposição. A sugestão de um outro leitor, este, sim, mãos-largas; come tudo o que lhe aparecer à frente e também atrás e não deixa o prato vazio, não é sui generis, mas se bem feita põe uma mulher de gatas e a miar. Palavras para o quê? Tal e qual como ditam as regras, com direito a puxão de cabelos, a umas palmadinhas meigas no sítio que não foi só concebido para um ser humano se sentar.

Tem razão esse leitor anónimo, que recomenda o referido tópico conhecido, quando diz que há mulheres que julgam que deixam de ser senhoras ao pactuarem com a afamada posição. Parvas. Pacóvias. Até são mais do que isso, mas não se pode escrever a aliteração. A decência gramatical agradece. Curiosamente, os poucos e-mails sem graça nenhuma têm assinatura de nomes femininos. Muito ressabiamento e pouco ventre preenchido, muito apetite e pouca coragem, tantas suspeições de traições e nula vontade de dar um pontapé a quem lhes coloca cálcio na testa. Não há paciência.

Salve-se a leitora ‘Boca de leite’, que, sem esquisitices, dá utilidade aos lábios de cima e aos de baixo. Não faz cerimónia com o parceiro. Não engole as palavras. Se o condutor não toca no ponto certo, ela indica-lhe o caminho. Se não gosta da acção, vira o milho ao contrário. Bravo.

POSIÇÕES DO AMOR: CALÇAR AS MEIAS

A mulher deita-se de barriga para cima, o homem ajoelha-se e apoia as nádegas dela sobre as coxas. Insere o pénis na vulva e aproveita os polegares e indicadores para massagear a área. O órgão masculino é usado como uma espécie de ‘consolo’ para excitar a parceira.

OBJECTOS SEXUAIS: VIBRADOR VIKING

Só para quem quer ser guerreiro e explorador. De forma muito realista e maneável, pois dobra-se a 90º e retoma à posição inicial, com a particularidade de ter vibração regulável na base para proporciona maior prazer, serve para brincar antes e durante do bem-bom sexual.

MERCADO DO SEXO: "É ‘COISAR’ À GRANDE E DEPRESSA"

Roger, 26 anos, atende mulheres

- Como é o ‘maior africano’?

- Oh, senhora, assim ao telefone, explicar é complicado. Entende, não é? Mas posso dizer que é muito bom porque o material é muito grande, até faz curva.

- O Código da Estrada manda abrandar nas curvas.

- Mas comigo não. O meu código é outro: a fundo no acelerador, sempre. A senhora fala assim porque ainda não viu. Quando vir, vai entender.

- Acelera sempre? Assim não me convém.

- Não diga isso, senhora. A minha velocidade põe os cabelos das mulheres em pé. Eu consigo voar e fazer voar. Está a ver?

- Estou a ver pouco; não foi para voar que lhe telefonei.

- A senhora faz-me rir. Há muitas maneiras de dizer a razão do seu telefonema. Voar com o ‘maior africano’ é ‘coisar’ à grande e depressa.

A partir de uma conversa telefónica com um profissional do sexo



Partilhar:

PUB

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados. É expressamente proíbida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Presslivre, S.A.,
uma empresa Cofina Media - Grupo Cofina.