FotoGalerias
  • Tamanho Letra
  • Imprimir
  • Partilhar  Partilhar
  • Comentar
  • Ler Comentários
Gostou desta notícia?
URL

Maya: "Emprestam sapatos, jóias e roupa"Nacionais: 10.4 - 08h Por: Sabrina Hassanali

Maya mudou-se para uma vivenda e deixou os seus escritórios. Nesta fase, "só dá consultas sobre cartas astrológicas por telefone" e nega que a SIC lhe tenha reduzido o salário, "antes pelo contrário".

– Mudou de casa. Porquê?

– Mudei-me porque queria uma casa maior. Saí de um apartamento T3 na Lapa [Lisboa] para uma vivenda de três pisos.

– E fechou os escritórios em Lisboa…

– Sim, porque o edifício onde tinha os escritórios era de uma família, que o vendeu. Temporariamente, transferi os escritórios da minha empresa Maya Eventos para a vivenda, mas está separada da casa. E vou abrir um novo escritório no Porto, em Maio. Quanto às consultas sobre cartas astrológicas, faço só por telefone, enquanto não tiver um novo espaço.

– Actualmente, tem-se falado muito das aulas que dá de Tarot.

– Já dou desde 2000. Mas agora falam disso porque anunciei na televisão.

– Então não está a sentir a crise?

– Sinto a crise na medida em que tudo aumentou de preço. Não me queixo de falta de trabalho, não tenho menos eventos, os cursos estão cheios, mas ganho menos porque pago mais.

– Uma revista escreveu que lhe reduziram o ordenado na SIC.

– Pelo contrário! A partir de agora, vou ter mais tempo de antena, e por isso a produtora fez a gentileza de me aumentar.

– Considera-se bem paga?

– Não sou paga como uma pessoa de primeira linha, como por exemplo a Bárbara Guimarães, mas o dinheiro não é tudo. Há que contabilizar outras vantagens: dão-me e emprestam-me jóias, sapatos, roupa, tenho visibilidade na televisão, a imprensa dá-me mais atenção, são tudo mais-valias para mim.



Partilhar:

PARABÉNS A...

Charlie Sheen

Setembro 03Charlie Sheen49 anos

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados. É expressamente proíbida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Presslivre, S.A.,
uma empresa Cofina Media - Grupo Cofina.